Fraseologia 16 – De volta ao assunto Rafinha Bastos

Fraseologia-16

O Fraseologia é um podcast no qual discutimos sobre algum assunto que gerou polêmica usando uma frase de base para a discussão. Dessa vez voltamos ao assunto do Rafinha Bastos.

E desta vez Zaider, Renan AspiraSenhor B e Artur (ghosturbo) voltam a discutir a frase do humorista Rafinha Bastos:  ”Eu não sou um sociopata, quanto eu sinto que erro, eu peço desculpas”

PS.: Agradecimentos especiais ao SKY do AFS (Anime Freak Show) por fazer mágica e tirar um ruído cabuloso do áudio do Artur.

Duração:  11 minutos

Mandem sugestões de temas para futuros cast, digam se gostaram, deem dicas do que precisamos melhorar e façam suas criticas no nosso e-mail:

contato@lagcast.com.br

Sigam-nos também no Twiter @lagcast e deixem seus comentários.

E sigam também nossos participantes no Twitter: Artur @ghosturbo | PA @PauloArth_r | gnu@humbertobz | Senhor B @SenhorB| LivCat @LivCat_| André @_dethebest 

Assinem nosso feed

Se você quiser, você pode baixar este e todos os episódios do Lagcast assinando o nosso novo feed pelo seu coletor de feeds favorito, copiando o endereço: http://lagcast.com.br/podcast. Caso você tenha o iTunes instalado e quer assinar diretamente no iTunes, basta clicar neste link:itpc://lagcast.com.br/podcast

“Texto do feed, copiado do Metacast”

Ouça agora! Ou quando quiser…

Sobre o autor:

Podcaster, Gamer e um cara legal..
Siga ele no Twitter / Facebook.

Comentários

Deixei sua opinião

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

7 comentários

  1. Que bom que voltaram com o fraseologia, estava sentindo falta.
    Sobre o Rafinha, eu acho que qualquer piada ofende alguém, por mais branda que seja e é muito difícil saber o limite das pessoas. Achei que ele pode ter até errado por não ter pedido desculpa, mas achar que ele é um monstro por um erro é d+ e essa entrevista mostra exatamente isso.

    Outra coisa, vocês já reassistiram Trapalhões? Tenho certeza que eles sofreriam a mesma coisa que o Rafinha sofreu porque nos anos 80/90 podia ser contado algumas piadas na TV que atualmente não passariam pelo aval da emissora.
    Eu prefiro ver um humor igual o do Rafinha que de vez em quanto passa dos limites do que o humor bobo que não tenta nada de novo igual Zorra Total.

    Abraço e tentem voltar com a frequência do fraseologia.

  2. Na minha opinião estamos nos tornando escravos do politicamente correto. Eu imagino que, por essa geração que está reclamando desses "ABSURDOS" vir de uma época de maior repressão e segregação, tem um pavor titânico de que algo ou alguém em algum momento venha abertamente a torna-los inferiores. Normalmente muitas pessoa tornando-se militantes de facebook e twitter mas, e daí?
    Sempre houveram, e espero que sempre exista um humor desapegado à valores medíocres e humanitários. Eu não sou um dinamarquês de olhos azuis vivendo no Brasil, o humor normalmente rasteiro e ácido ainda me alcança, mas me parece um ato de maior ignorância proteger a imagem de pessoas que "não querem ser protegidas". Diga à uma mulher que ela é uma criatura inconstante e frágil, muito provavelmente você será criticado, mas se por ventura a mesma em um único momento do ano agir de tal forma, pode afirmar que é perseguição, os dois pontos estão errados, mas eu fico imaginando o que acontece na cabeça de pessoas que sabem que não preenchem todos os requisitos para ser o alvo de uma piada e ainda assim carregam aquela aura de "é comigo".
    Eu até falaria dessas novas vertentes de cristianismo e de seus participantes, associados e cultistas, porém são mais exemplos de pessoas que querem estar acima de todos e ter as regalias reservadas aos menos capacitados.

    PS: Muito obrigado por voltarem galera ^^
    My recent post Outros idiomas…

  3. Pooooora galera, como é bom encontrar um Fraseologia para ouvir no feed!

    tks.

    Sobre o Rafinha Bastos, acho que ele é vítima da nossa babaquice! E digo nossa pq todos nós estamos muito mais fresquinhos! Adoramos ver filmes de comédia dos anos 70/80 e ver o quanto eram políticamente incorretos, mas qdo a piada é com a gente, já tratamos de nos colocar em alguma minoria PROCESSÁVEL e sair falando que fomos vítimas de preconceito!

    É uma bosta mesmo!

    Enfim, grande programa!

    Parabéns!

    aLx

  4. Ae fraseologia voltou (nem sabia que tinha saído do ar pq né estou a tanto tempo sem comentar nem ouvir os podcasts) eu também estou tentando voltar a comentar :)

    Sobre o Rafinha: mé, não posso deixar de pensar que as pessoas só processam o cara e ficam tão revolts só pra entrar na mídia… mas enfim, ele fez uma piada ruim, ele pediu desculpas, fim de papo.

    Eu não me recordo de nenhuma piada que eu tenha feito que efetivamente ofendeu alguém, mas eu já dei alguns foras (bem tensos até)… por exemplo:

    Conversando com uma amiga minha sobre a aula do dia, eu falei que não queria ir, que eu ia e ficava até o intervalo e dps ia embora, ela me perguntou se tinha ônibus para a minha casa naquele horário, eu disse "não mas eu tenho mãe". Bom mas onde está o fora? Bem, a mãe da menina já tinha morrido… pedi desculpas e tal, ela me desculpou falou que não tinha problema mas aí a merda já tava feita :P

  5. Caras esse papo sobre os limites do humor é polêmico, a sociedade em muitos pontos anda muito hipócrita e vê muita coisa onde não tem. Concordo com vocês que essa piada do bebê tomou uma proporção totalmente desnecessária. Mas de maneira geral o povo brasileiro adora julgar e apontar o dedo para os outros, acho isso uma merda. Trapalhões nunca existiriam hoje. Mas apesar de estar do lado do Rafinha nessa piada tonta que não era nem pra metade disso, acho que o humorista deve sim ter bom senso e limites, ainda mais na tv aberta para todos os publicos. Talvez diferente de um palco com classificação de idade e um espetáculo com o nome de a arte do insulto… é diferente da tv aberta.

    Outra coisa que não concordo com o Rafinha é o fato de se ele pensa que errou com uma pessoa publicamente e expos a mesma que deve pedir desculpas a pessoa e não ao publico. Acredito que se ele "humilhou" uma pessoa perante o público é horado e nobre diante desse mesmo publico assumir seu erro… isso é humildade. Não adianta nada eu chegar aqui e diante de todos os leitores xingar todo mundo e depois mandar um email pessoal que ninguém fica sabendo me desculpando. O mais nobre e sensato é chegar perante o mesmo publico na qual eu expus a pessoa e me desculpar.

    Mas enfim, muito interessante o tema e com as mudanças comportamentais das gerações sempre estará em pauta.

    Abraços

    • Essa parada que você falou faz total sentido e eu nem tinha parado para pensar no caso. O cara humilhou a Vanessa publicamente e resolveu pedir desculpas pessoalmente. Quem tem a coragem de fazer bosta publicamente tem que ter a mesma coragem para pedir desculpas para o mesmo público.

      • Pois é, acredito que se ele no programa seguinte em algum momento ou no inicio ou no fim ele pedisse a palavra para se desculpar dizendo que foi um improviso de momento, mas que foi errado e que todos erram, mas que ele estava ali diante do mesmo publico na qual expôs a mulher se desculpando pelo erro terminaria tudo ali, mas também não sei até onde vai o ego das pessoas ou suas crenças pessoais, mas é nisso que acredito.

        Abraços.
        My recent post [PROMOÇÃO] Noobz te dá o jogo MAGICKA no Steam!

Loading Facebook Comments ...

No Trackbacks.