E3 Sony 2012: Esperanças, Surpresas e Decepções

kaz

Aproveitando que a E3 já passou tempo o suficiente para acalmar a chama do fanboyismo dentro de 85% do público que a assistiu e para ainda poder escrever sobre ela sem estar atrasado demais, resolvi escrever as minhas impressões sobre as minhas surpresas, decepções e expectativas (esmagadas) sobre o que aconteceu na menos ruim das conferências grandes que se apresentaram nessa nova “pior conferência de todas EVER!” pelos sensacionalistas. Sigam-me os interessados:

 

Expectativas arruinadas
.Sound Shapes e mais espaço pro Vita:


Todo mundo sabe os problemas que o Vita anda enfrentando atualmente como vendas baixas, mesmo com todo poder do portátil, chegando a perder até pro velho de guerra psp, poucos jogos atraentes ao público (o que pode mudar um pouco com os spin-offs de Assassin’s Creed e Call of Duty) e um preço considerado muito alto pelos consumidores (causa essa que fez a Nintendo cortar o preço do 3DS pra não entrar no prejuízo), então nada mais lógico que a Sony dar mais espaço para o Vita e seus jogos para tentar tirar o console dessa fossa em que ele se encontra agora.
E um desses jogos é o Sound Shapes, jogo criado pela empresa canadense Queasy Games, criadora do colorido shooter multidirecional Everyday Shooter (que ganhou uma menção no review de beat hazard), que é um jogo que você controla uma bolinha que gruda em qualquer canto do cenário e, conforme você vai interagindo com ele, a música do jogo vai se transformando. Sem falar que, além da participação de Jim Guthrie (compositor do estranho e incrível Superborthers: Sword & Sorcery EP), você pode criar as suas próprias fases e músicas para depois compartilhar com o pessoal. Esse jogo, junto com Gravity Rush e Touch My Katamari foram os jogos que me fizeram comprar o Vita.
Mas não, a Sony teve que cortar o espaço para anunciar aquela droga do Wonderbook (veja mais a fundo em decepções), que só foi feito pra arrancar dinheiro de criança e de fã do Harry Potter.

 

.Alguma exclusividade em Dead Space 3:


A EA tem um histórico de apresentar exclusividades para o PS3 como o combo 2- por-1 presentes no Medal of Honor (que veio com o Frontlines junto) e no Dead Space 2 (que veio com o Dead Space Exctraction com suporte total ao PS Move). Então eu esperei por alguma exclusividade em relação ao Dead Space 3, mesmo que fosse algum DLC embutido no jogo, mas isso, infelizmente, não aconteceu, o que me decepcionou um pouco.

 

Surpresas


.Call of Duty e Assassin’s Creed no Vita:


Como eu disse anteriormente, um dos maiores problemas do Vita é a falta de jogos atraentes para o público e o anúncio dos spin-offs Assassin’s Creed: Liberation, protagonizado por uma ex-escrava na mesma época do ACIII, e do Call of Duty: Declassified para o portátil melhorou um pouco a situação. Esses dois jogos não vão fazer milagre, mas vão dar um empurrãozinho extra para alavancar as vendas. Talvez eu jogue o CoD portátil, mas eu não sou interessado na franquia AC, porém toda ajuda é bem-vinda, não?

 

.A demonstração de The Last of Us:


The Last of Us foi um jogo que, no anúncio dele na E3 passada, não me cativou muito porque eu já não me sinto mais atraído nesse negócio de apocalipse zumbi, mesmo que o mecanismo zumbificador seja um fungo e não mais um vírus como de costume. Mas, a demo dele me deixou interessado porque ele deixa o lado Rambo de ser e foca mais em companheirismo e trabalho em equipe pela sobrevivência, uma vez que as balas são escassas, forçando o jogador e a menina a agirem de modo mais stealth.
Mas, como sempre, a infiltração dá errado e a dupla é forçada a partir pra ignorância, com direito à porradaria, pedradas na fuça e uma finalização com um tiro de shotgun na rosto do inimigo. Eu vou manter a minha atenção no jogo porque qualquer trailer de jogo que termine com um tiro de 12 na cara merece o meu respeito.

 

.A redução de preço dos jogos nacionais:


Todo mundo já conhece de cor a história dos preços abusivos dos jogos aqui no Brasil e que só ficou pior com o caso Moacyr (que acabou ganhando um cast no qual eu participei). Por isso, foi uma grande (e grata) surpresa a Sony ter anunciado que os preços de seus jogos exclusivos (ou seja, somente aqueles produzidos pela própria Sony) cairiam: os de 200 reais desceram pra 150, os de 150 pra 120 e os de 120 pra 100. Vale ressaltar que a redução pode levar umas duas semanas para ocorrer, que não é pra cair na onda dos varejistas de promoção para enganar consumidor e que isso não tem nada a ver com alguma iniciativa de redução de impostos existente atualmente (em resumo: foi uma iniciativa própria da Sony). Isso pode ser resumido na frase “Chupa Jogo Justo”.

 

Decepções


.Nada sobre a vinda da psn plus e dos cartões pré-pagos aqui pro Brasil:

Com a redução dos preços dos exclusivos, veio a expectativa dela anunciar algum plano para a chegada dos serviços de pagamento e fidelidade onde alguns jogos são de graça enquanto frequentador do serviço, mas não teve resposta alguma sobre isso, deixando-nos a comprar no internacional. Enquanto isso, ela anuncia, em uma jogada de marketing parecida com a da Microsoft no ano passado, que todo mundo na conferência ganharia um ano de plus de graça. Como eu queria estar lá na hora disso.

 

.Wonderbook: Book of Spells:


Voltando ao assunto do Vita abordado anteriormente, a Sony em vez dar mais espaço para o portátil, decidiu que seria melhor investir em uma apresentação horrível sobre um spin-off malfeito tanto de jogabilidade quanto de gráficos do universo de Harry Potter achando que, só por ter a participação da autora da série, ele vai vender bem. Pois é, o problema é que esse jogo provavelmente vai vender por causa daqueles pais, tanto fãs quanto superprotetores, que querem dar algo bonito, no sentido não violento da coisa, para as suas crianças puras que adoram jogar God of War escondidos deles. Sony, se você não confia em seu próprio console, como você quer que ele se dê bem contra a concorrência?

***

Pois bem, essa foi a minha opinião sobre a E3 da Sony desse ano, se você tem alguma opinião complementando ou contrariando a minha, escreva aí nos comentários, vai.  Agora com licença que eu vou me proteger dos fanboys e haters do negócio.  Até a E3 2013 e fui.

Nota: Eu não vou fazer um post sobre as conferências da Microsoft e da Nintendo, porque eu não estou ligando pra Microsoft e, apesar de gostar da Nintendo, eu não tenho um 3DS e não planejo ter um WiiU porque eu já tenho console demais para bancar.

Sobre o autor:

.
Siga ele no Twitter / Facebook.

Comentários

Deixe um comentário

Loading Facebook Comments ...

No Trackbacks.